domingo, 13 de maio de 2012

Em Mossoró, o realismo petista derrotará a esperança


A direção nacional do Partido dos Trabalhadores “avocou” para si a definição da participação da agremiação na disputa eleitoral de 2012 em duas cidades: Duque de Caxias (RJ) e Mossoró (RN). O objetivo é o de impor alianças com candidaturas do PSB. Essa opção foi rechaçada pelos filiados da agremiação nos municípios.

Nada sei da realidade político do município fluminense. Da capital do oeste, sei que há, pela primeira vez desde que o PT foi fundado, a possibilidade de enfrentar com alguma chance de sucesso uma disputa eleitoral local. Após intenso debate e uma disputa que, não em poucos momentos, resvalou para a baixaria (estimulada, de fora, pelos que não queriam a candidatura própria petista), a secção mossoroense passou a contar com um nome de peso para disputar a prefeitura: Josivan Barbosa, ex-reitor da UFERSA.

A candidatura Josivan amedronta os “donos da cidade”. Medo de uma alternância real de mandatários na cidade. Uma quebra na tediosa disputa eleitoral entre dois ramos do mesmo grupo familiar.

Tudo estaria ótimo, não fora o fato de que o pragmatismo petista está acima do compromisso com a democracia interna.  O PSB quer o apoio petista aos seus candidatos nas duas cidades. Quer? Na verdade, exige. E toma tal apoio como uma demonstração de “boa vontade” do PT. A direção nacional do PT, ansiosa para garantir apoios à até agora desnutrida candidatura de Fernando Haddad à prefeitura paulista, decidiu sacrificar os projetos políticos locais do partido nos dois municípios.

Os petistas mossoroenses prometem resistência. Vão cair de pé, dizem. Não todos, obviamente. A quinta-coluna interna, tal como a direção nacional, já decidiu mandar às favas as questões de consciência e espera ansiosa pelo momento de subir no palanque do pessebismo.

12 comentários:

Joselito Müller disse...

Meu caro professor Edmilson. O senhor afirma não conhecer a realidade política da cidade de Duque de Caxias, mas tenho a impressão que também não conhece a de Mossoró. O estatuto do Partido dos Trabalhadores não prevê possibilidade de intervenção do Diretório Nacional em diretórios locais, o que esvazia sua tão barulhenta vociferação. O que acontece, em verdade vos digo, é que Josivan recebeu proposta de abrir mão de sua candidatura para ocupar a função de Coordenador de Infraestrutura e Obras do MEC e segundo Olavo, do gabinete de Fátima Bezerra, ficou assaz lisonjeado e possivelmente aceitará.
Mas como nosso companheiro é bem espertinho, o danado, anda se fazendo de vítima, possivelmente para projetar seu nome internamente pra pleitar uma vaga na câmara federal em 2014.
Aconselho que o senhor se informe melhor sobre as questões internas de seu partido e leia o estatuto do mesmo antes de sair por aí falando o que não deve.
Na verdade, acho que eu é tô falando besteira, pois nem filiado ao PT eu sou. Deus me livre

Edmilson Lopes Júnior disse...

Caro Joselito,

Não costumo julgar apressadamente as pessoas. Aposto nelas, sempre. Até prova em contrario. E, poderia dizer, uma postura de vida.
Quanto ao PT de Mossoró, vc e eu acompanhamos como cidadãos. Estamos empates.

Um abraço,

Edmilson

Edmilson Lopes Júnior disse...

Ah! Se Josivan quer ser deputado federal, tudo de bom. Nada mais legitimo. Seria um bom candidato, pode

Betânia Maria disse...

Bom dia professor.
Me entristece profundamente ver que o PT tal qual a maioria dos partidos políticos age como os vendilhões do templo: pouco importa o que pregam, pouco importam as suas convicções ou que tenham que sacrificar para "chegar lá"! Mas não só me entristece como me dá pena de pessoas como nosso colega Joselito, coitado, não sabe o que diz e diz o que não sabe. Mas é isso, é livre o direito de se expressar. E como diz Voltaire: "Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-las."
Abraço.
Betânia Maria

Professor Alan Martins disse...

Caro prof. Edmilson,
A "fonte" do sr. Joselito não poderia ser mais "isenta"(?). Ora, o sr. Olavo, é assessor de Fátima Bezerra, uma das principais mentoras deste processo de desconstrução da candidatura de Josivan, por razões que não cabe dissertar aqui, mas que todos conhecem. Fátima será cobrada por esta postura pelos petistas mossorenses em 2014, quando ela for pedir nosso voto.
Josivan não precisa de emprego, como deixa a entender o sr. Joselito. Josivan é professor associado da Ufersa e é uma das maiores referências do país em sua área de atuação. Seus artigos são respeitados no país inteiro.
É uma honra para o PT tê-lo em seus quadros.
Ele abriu mão de uma reeleição garantida para reitoria da Ufersa, por acreditar que o PT mossororense não tinha mais coragem de se coligar ao grupo da Sra. Sandra Rosado, uma vez que em 2008 a experiência foi desastrosa.
Eu, diferente do sr. Joselito, sou filiado ao PT e ainda acredito que é possível manter a candidatura própria, uma vez que a maioria dos filiados mossoroenses se manifestaram favoravelmente em voto direto no último dia 18 de março. Apesar do que diz a imprensa, o que está valendo é isso. A candidatura própria, repito, não foi vetada por ninguém e Josivan está disposto a concorrer.
Agora, esta decisão do diretório nacional é ilegal e será facilmente derrubada na justiça, após a inscrição da candidatura que se dará após a convenção municipal do PT, no próximo dia 10.
A sra. Sandra Rosado está correta em rechaçar Josivan, pois se ele não for eleito prefeito em 2012, terá amplas condições de "tomar" sua vaga na câmara federal em 2014.
Fátima Bezerra por sua, historicamente, sempre foi muito bem votada em Mossoró e agora verá seus votos migrarem para Josivan. O nome disso é RENOVAÇÃO, ou se preferir, alternância de poder.
Mais um comentário, por favor continue fazendo suas crônicas sobre o PT de Mossoró, pois elas circulam à velocidade da luz e o seu olhar isento nos ajuda a esclarecer as pessoas.
Ao contrário do que mencionou o sr. Joselito, o professor Edmilson demonstra ser um profundo conhecedor da realidade petista, e escreve sobre o assunto com a legitimidade de quem não tem dívida política ou algo assim.
Parabéns pela postagem prof.

Joselito Müller disse...

Professor Alan Martins, devo esclarecer que em momento algum afirmei que Josivan anda mendigando emprego. Somente expus um fato oriundo de uma fonte fidedigna. Meu comentário foi no sentido de que, como o art. 155 do estatuto do PT impede intervenção em cidades com o eleitorado de Mossoró, a preocupação com a suposta intervenção do diretório nacional é sem sentido, só isso! Qualquer ação nesse sentido seria facilmente desmanchada. Mas como o pessoal do diretório nacional do PT não é besta nem nada, estão tratando de articular uma coligação por outras vias - já que a intervenção é inviável - e para tanto ofereceram essa proposta a Josivan - o que levar que o mesmo tem competência para assumir tal função.
Como o professor Edmilson disse, a coligação em São Paulo tá condicionada à composição em Mossoró. Então em nome do "projeto nacional", os petistas da direção estão dispostos a convencer seus correligionários a sacrificarem seu "sonho" local, uma vez que, caso vençam em SP, desalojariam o PSDB de um dos redutos eleitorais mais importantes do país.
Professor Alan Martins, meu nobre, em 2014, caso Josivan se candidate à câmara federal, os votos de Fátima não migraram pra ele, pois a deputada tá articulando se lançar ao senado, e para tanto já está flertando com Henriquinho Alves que, ao que tudo indica, terá apoio da petista na disputa pelo governo do RN. Absurdo? Tô falando besteira? Só o tempo dirá...
Por fim, devo dizer a Betânia Maria que ao invés de ridicularizar uma opinião, se dê ao menos ao trabalho de tentar refutá-la.

Hasta pronto, camaradas

Professor Alan Martins disse...

Josivan continua candidato a prefeito em Mossoró, independente do que consta na mídia local/nacional ou ainda, independente do que, assessores de parlamentares, supostamente bem informados, dizem. O referido "emprego" foi prontamente negado por Josivan.
Já ouvi esta estória de que Fátima pretende se candidatar ao senado. Creio que ela tomará esta decisão no dia 31 de fevereiro próximo! Ora, meu caro, o pragmatismo de sua corrente não permitirá que ela embarque em voo suicida.
A coligação de SP não está condicionada às coligações de Mossoró e Duque de Caxias. Isso é o que foi veiculado no PIG - folha de SP, cuja credibilidade só não é maior do que a da revista veja.
Afirmo que a decisão do diretório nacional (ilegal, nisso concordamos)não tem nada a ver com SP, e sim com o ódio que setores do PSB estão do PT destas duas cidades. A questão é pessoal, não é nacional como o PIG deixou transparecer!!!
Seria bom duas coisas:
1º não considerarmos verdade absolutas tudo que sai no PIG
2º Darmos desconto, no comentário de assessores de parlamentares.
Um abraço!

Anônimo disse...

Alan,

01. também tenho minhas dúvidas sobre essa suposta interferência nacional. Ela pode até ser cogitada, mas o "fio telefônico", aquela brincadeira de criança, vem hipertrofiando bastante a intensidade do recado. Por quem? Ora, pelos grupos de Fátima e Sandra, que trabalham incessantemente nos bastidores pela desarticulação da candidatura de Josivan.
02. O que chama atenção também é a baixaria com que o assunto vem sendo tratado. Estórias de mala de dinheiro, de apoio velado de Josivan a Claudia Regina (candidata de Rosalba na cidade) e até questões pessoas estão se proliferando pela região no sentido de queimar o reitor.
Tá complicado lá...

daniel

Bruno Costa disse...

Caro professor Edmilson,

Acho que você deveria ter acompanhado mais de perto o 4º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores e acompanhar mais de perto a correlação de forças na direção nacional do PT.

No 4º Congresso Nacional do PT os militantes, eleitos delegados ao Congresso em todos os estados brasileiros, aprovaram uma resolução que autoriza a direção nacional a tomar para si a decisão sobre a tática eleitoral quando julgasse importante para a continuidade de nosso projeto nacional. A militância petista do RN também esteve presente e ajudou a aprovar essa resolução, logo, se a direção nacional aprovar uma tática diferente da tática aprovada no Congresso Municipal do PT mossoroense será uma ação autorizada pela militância do PT, não uma intervenção antidemocrática. No próximo Congresso podemos rediscutir o assunto e acho que devemos rediscutir, democraticamente.

Já no que diz respeito à correlação de forças na direção nacional do PT (um partido formado por tendências), a CNB (Construindo um Novo Brasil) tem a maioria dos votos, mais de 50%. Uma resolução como essa não pode ser aprovada sem o apoio da CNB, a mesma tendência que defende a candidatura de Josivan Barbosa em Mossoró. Aliás, foi um dirigente nacional da CNB que viajou ao RN para rediscutir a tática do PT mossoroense, não foi nenhum dirigente da "quinta-coluna interna". Aliás, não há nenhuma "quinta-coluna interna" no PT, há fora do PT, na academia, nas oligarquias. Trata-se daquela que condena os militantes do PT contrários ao modelo de produção do agronegócio.

Por fim, uma pergunta e um convite.

Quais os critérios o senhor utilizou para caracterizar a candidatura de Fernando Haddad como sendo "desnutrida", utilizando uma expressão no mínimo pobre para um "defensor" de candidaturas petistas, e caracterizar a candidatura de Josivan Barbosa como uma candidatura que pode abalar as estruturas oligárquicas e vencer a disputa eleitoral em Mossoró? Não consegui deduzir os critérios utilizados para a caracterização das candidaturas no que diz respeito à competitividade.

Caso não esteja filiado ao PT, como ferrenho defensor de candidaturas petistas e da democracia interna do nosso partido, acho que você deveria se filiar, compartilhar suas ideias em nossas plenárias, disputar internamente os rumos do partido. Sinta-se convidado!

Bruno Costa
Secretário Estadual da JPT/RN
Assessor da deputada federal Fátima Bezerra (PT/RN)

Joselito Müller disse...

Prezado professor Edmilson e prezado professor Alan,

Nada melhor que o tempo para dar razão a quem tem. Hoje (21/05) Josivan acaba de abrir mão de sua pré-candidatura e o PT mossoroense está costurando uma chapa com Socorro Batista como vice de Larissa Rosado. O empecilho até então é atinente ao PPS, que faz parte da base de apoio da Rosadinha, e com quem o PT não pode se coligar em função de resolução nacional. Ressalte-se por oportuno de que a informação que a coligação de SP no que se refere ao apoio do PSB à candidatura de Haddad não é oriunda do chamado PIG, mas foi declaração do próprio Marco Maia em entrevista coletiva dada por ocasião de sua vinda ao RN. Aguardemos mais um pouco, para nos certificar se os motivos que levaram Josivan a abrir mão de sua pré-candidatura são aqueles alegados pela minha pessoa no 1º comentário deste post. O tempo dirá. Abraços!

Edmilson Lopes Júnior disse...

Pessoal,

não tive como responder a cada um dos comentários. Não tive tempo. De verdade!
Olha, eu não sou filiado a partido nenhum. Fui. Na verdade, fui até fundador. Hoje, não me vejo em partido nenhum. Teria que mudar minha postura como professor e isso não é mais possível para mim.
Assim sendo, agradeço os convites para o revival.
Sou um abelhudo, apenas isso. E, dado que os partidos são sustentados com o meu, o nosso, o seu suado dinheirinho, temos, como cidadãos, o direito de opinar sobre o que ocorre nos seus quintais. Os militantes, of course, podem nos mandar plantar batatas. Claro que muitos gostariam de nos silenciar (nesse tenebroso mundo só quem lhes presta continência teria direito a voz...).
Bueno, mas, como eu ia dizendo, não deu para responder a todos...
Minhas desculpas!
Um abraço,
Edmilson Lopes

Bruno Costa disse...

Obrigado pela resposta professor. Entendo a dificuldade de responder de outra forma. Saudações socialistas! O convite continua válido.