quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

À Hugo Manso o que é de Hugo Manso

Ontem pela manhã recebi um telefonema de Hugo Manso. Eu estava na ante-sala de um consultório médico e não pude, e nem ele queria, esticar a conversa. Mas o político petista deixou o seu recado. Ou sua bronca. Hugo estava chateado. Disse-me que havia ficado “triste” e tinha sentido “dor” com o post EntreBMWs e Ferraris, o PT do RN escolhe correr de fusquinha na disputa por uma vaga no senado.

Não lhe nego o direito de ficar chateado. Políticos, como de resta todos os torcedores do Flamengo, adoram elogios e têm ojeriza à crítica. Hugo sentiu-se desrespeitado com o texto. Após falar, emocionado, sobre a sua trajetória no PT, analisou cada um dos critérios que eu coloquei no texto como crivos para a escolha da candidatura ao Senado pelo PT e disse que se enquadrava em todas eles. Mais ainda: inverteu os pontos ali elencados e se disse ofendido porque, indiretamente, eu estaria identificando-o como antiético e despreparado intelectualmente, dentre outras coisas.

Nem sempre, quando escrevemos, conseguimos passar exatamente o que queremos. Muitas vezes, os nossos leitores (no caso deste blog, alguns poucos, mas que me honram muito com o seu acompanhamento) decodificam mensagens que estão há anos-luz daquilo que efetivamente queríamos dizer.

Dito isto, vamos por partes, como diria um famoso Jack. Vejamos, naquele texto, onde a menção explicita a Hugo aparece (a citação é longa, mas vale a pena recuperá-la...):

Diante desse quadro, como o PT local está reagindo? Como sói ocorrer com freqüência na sua história recente, com visão paroquial. As duas pré-candidaturas lançadas não parecem dotadas das condições necessárias para uma ocupação competente do espaço acima mencionado. Hugo Manso e Fernando Lucena, são, sejamos francos!, dois candidatos a vereador. Vão para a disputa para o Senado pensando de olho em outra coisa (bem menor!). Querem acumular forças para os seus projetos, mais do que legítimos, de voltar à Câmara Municipal de Natal... Prá eles, tudo bem; para o PT, um deslizar na maionese.

Falemos francamente: as duas pré-candidaturas lançadas até agora somam quase nada ao projeto de consolidação do partido no Estado. São paroquiais! Dialogam com demandas corporativas e expressam discursos políticos limitados, anacrônicos e que não potencializam o alargamento da base social do PT no RN. Hugo Manso é até um pouco melhor, tem uma boa retórica, mas, dificilmente, conseguirá fazer pontes substantivas com a nova configuração social do Rio Grande do Norte. E já é um nome batido, tantas vezes foi candidato...


No restante do parágrafo acima, faço comentários críticos sobre a pré-candidatura de Fernando Lucena. Concluo as apreciações das duas pré-candidaturas com o seguinte trecho: “Caso tenha objetivos maiores, como reforçar a candidatura presidencial de Dilma Roussef e, ao mesmo tempo, construir as bases para uma performance qualitativamente superior em 2012, o PT do RN deveria lançar uma candidatura ao senado que expressasse mais do que a busca de um mandato de... vereador em Natal.”

Ora, se apontei critérios, eles não se referiam MAIS nem a Hugo Manso e nem (menos ainda!) a Fernando Lucena. As duas pré-candidaturas, do ponto de vista da lógica interna do texto (que não é, e nem parece que vai ser, a do PT do RN), já ESTAVAM DESCARTADAS. Hugo Manso tem todo o direito de sentir-se ferido e discordar do meu entendimento de que a sua candidatura é paroquial, mas não pode se sentir ferido (assim como Fernando Lucena) pelos critérios que eu apontei. SIMPLESMENTE PORQUE NÃO ESTAVA MAIS ME REFERINDO A ELES. Se eles se enquadram ou não naqueles critérios, isso, no conjunto do desenvolvimento do texto, estava fora de questão. Por quê? Pelo simples fato de que eu já os havia excluído da minha escolha.

É arbitrário esse tipo de posicionamento? Claro que é. Mas, ora bolas!, sou o único responsável pelo meu texto. E penso mesmo que as duas pré-candidaturas são negativas. Mesmo que toda a torcida do Flamengo pense o contrário, eu, de minha parte, não dou a mínima. Penso assim e coerente com o que penso, posiciono-me. E, obviamente, arco com as conseqüências. Como não pertenço a partido, seita ou torcida organizada nenhuma, escrevo o que penso. Sempre.

Claro que, como diria o Zeca Baleiro, Hugo Manso pode passar com a sua dor. Mas, qualquer um que siga um raciocínio lógico, entendeu que os critérios apontados por mim e que ele tomou como ofensivos a sua pessoa, não se referiam MAIS a ele. Os critérios são medidas, certo? E eu não quis medir Hugo e Lucena. Pronto. Como são construções subjetivas, os dois podem achar que se enquadram perfeitamente. Essa discussão não me interessa. O que me interessava (e ainda me interessa) chamar a atenção é para o fato de que, tendo um espaço para ser ocupado de forma competente e que poderia potencializar a sua presença no RN (a candidatura de senador), o PT abra brechas para projetos que eu (euzinho, sem mais ninguém do lado) entendo como menores.

É isso...

6 comentários:

Blog do Thadeu disse...

Sinceramente, não acredito que o PT tenha quadros políticos para tanto, ou seja, para potencializar sua chapa neste ano. Concordo que o Srs. Manso e Lucena tenham capital político apenas para a vereança. Um dos poucos que possuíam condições de sair ao Senado morreu neste carnaval.
O PT, como toda e qualquer agremiação política, principalmente aqui no RN, está muito mais preocupados com os seus cargos no aparato estatal do que com projetos de poder.
A dança de cargos, da qual uma parte da academia participa, é notória e está ligada às preocupações de enriquecimento pessoal (lícito, suponho) e não numa perspectiva de mudança social ou política. Não darei exemplos aqui, mas eles se encontram dentro de nosso próprio ambiente... São nossos vizinhos...
Ainda nutro alguma esperança pelo PT, mas esta, de modo algum passa pelas suas representações do RN.

Bruno Costa disse...

Existem diversas categorias de seitas, inclusive a daqueles que acreditam ser livres pensadores.

Anônimo disse...

Como é? Seita dos "livres pensadores"? Valeu, Bruno! Talvez nessa aí, quem sabe?, eu entre. Rsss.
Um abraço,
Edmilson Lopes.

Blog do Thadeu disse...

Antes livre-pensador que verdadeiramente inscrito em uma seita...

Esdras disse...

gosto de Hugo, mas o raciocínio está correto. Porém, Edmilson, os dois nomes que você citou não ganham nem eleição de síndico.

Os outros dois quais são?

Anônimo disse...

Prof. Edmilson,
Concordo com seu raciocínio sobre Hugo e Lucena.
Mas as figuas que você propõe, me desculpe, virei Hugo de carteirinha.
ps: o que não podemos é permitir que o DEM continue "representando" nosso Estado.